amor

A vida se dá a nós na medida de nossas crenças.
O problema é que somos tão inconscientes que permitimos que existam em nós espaços inexplorados, mal-assombrados, habitados por fantasmas do passado, medos e ideias herdadas.
Vivemos na superfície de nós mesmos, de braços dados com a pueril superficialidade que diz ser capaz de amar, mas somos manipulados, como marionetes, por essas amarras inconscientes que nos recusamos a ver e transformar.
Enquanto você não compreender que existe algo “em você” destinado a destruir a estrada que leva ao amor, seus relacionamentos continuarão fadados a desmoronar na primeira curva do destino.
Busque em si mesmo a fonte de sabotagem.
É lá, no seu íntimo, que você a pode encontrar, e não nas projeções que você faz sobre seus parceiros.
É sempre algo entre nós e nós mesmos.

 

O amor é para quem voa alto

O voo solitário da águia a aproxima do amor de uma maneira que ovelha nenhuma jamais seria capaz de sequer sonhar.

Precisar não é depender

Sim.
Precisamos uns dos outros.
Precisamos das lições que nos trazem aqueles que cruzam nossos caminhos. Precisamos de seu carinho, precisamos de uma mão que segure a nossa nos momentos de fragilidade.
Precisamos de ouvidos atentos, de abraços verdadeiros e de delicadeza.
Precisamos ter a quem contar nossos sonhos, para que os possamos ouvir.
Mas, ouçam, “precisar” não é “depender”.

Não é desculpa para abrirmos mão de trilhar nosso próprio caminho em direção à autonomia, para nos acomodarmos, para colocarmos sobre o outro a responsabilidade de nos cuidar.
Não há honra em sermos carregados, tendo pernas para andar.
Cada um de nós é responsável por encontrar e trilhar seu próprio caminho. Não há como delegar isso a alguém sem que isso se converta em distorções nesse relacionamento.
Todos somos capazes de manifestar algo que tenha valia para o todo.
Não existe NINGUÉM que não seja capaz de cumprir o que sua alma projetou.
É para isso que estamos aqui.
Estamos aqui para caminhar.

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *